GPS Lifetime GPS Lifetime

Desidratação: organismo dá sinais da falta de água

Desidratação: organismo dá sinais da falta de água
photo Reprodução

Quando o indivíduo não repõe a quantidade necessária de líquido e sais minerais, o corpo fica fora de equilíbrio e apresenta sintomas

 

Bebe pouca água durante o dia?! Se a reposta for sim, cuidado, pois sem líquido e sais minerais, o corpo não funciona corretamente e alguns órgãos podem ter suas atividades comprometidas. É o caso do coração e dos rins, responsáveis por bombear e filtrar o sangue, respectivamente. Tal problema pode resultar na desidratação, que ocorre quando o organismo usa ou perde mais líquido do que o ingerido.

A água é responsável por nutrir as células do corpo e garantir que todas as funções sejam devidamente cumpridas. Diariamente o organismo absorve a substância vital para liberar a respiração, lágrimas, suor, urina e fezes. Quando o indivíduo não repõe a quantidade necessária de água, o corpo ficar fora de equilíbrio ou desidratado.

Dentre as principais vítimas da falta de hidratação estão idosos e crianças, ambos precisam de ajuda ou, muitas vezes, esquecem de tomar água. Os dois grupos têm facilidade de perder líquido.

Sintomas

Os sinais da desidratação variam de acordo com os graus de intensidade. Ao todo são três níveis, sendo que, o leve é caracterizado pela perda entre 1 e 3% do peso corporal por falta de hidratação e os sintomas desse tipo são: sede, dor de cabeça, urina escura, mau hálito e menos frequência de micção.

Na desidratação moderada, os sinais da versão leve ficam mais graves, o que resulta nos sintomas do grau leve e em boca e olhos secos, aumento da temperatura corporal, taquicardia, diminuição de peso, moleza e pele seca.

Enquanto na desidratação severa, todos os sintomas anteriores são acentuados e surge ainda a falta de urina e suor, respiração acelerada, confusão mental, queda da pressão arterial, convulsões e até coma. Como o corpo não tem capacidade de funcionar sem água, a desidratação pode fazer com que os órgãos parem, levando à morte do indivíduo.

Diagnóstico

O especialista pode diagnosticar a desidratação com base em sinais e sintomas físicos, por exemplo, pressão arterial baixa, ritmo cardíaco mais rápido que o normal e fluxo sanguíneo reduzido. Mas para identificar o grau da desidratação e a causa da falta de água no corpo, o médico indica fazer os exames de sangue e de urina.

No primeiro teste é possível verificar a quantidade de sais minerais presentes no corpo, bem como a glicose e indicadores do funcionamento dos rins. Já no exame de urina são avaliados cor, clareza e densidade da substância.

Tratamento

A desidratação tem cura e, como nos sintomas, os tratamentos dependem da intensidade do problema e da idade do paciente. Mas, geralmente, a terapêutica consiste em repor água e sais minerais do corpo. Nos graus leve e moderado, os médicos indicam beber água ou soro caseiro em goles pequenos para repor líquidos e sais minerais.

O nível severo requer maiores cuidados, inclusive, médicos. Como a ingestão de água e soro caseiro não hidrata o corpo rápido, a hospitalização pode ser necessária para que a reposição de líquidos seja feita por via intravenosa.

Ficam as dicas!

O melhor indicador da desidratação é a cor da urina. Se a substância estiver clara, significa que o corpo está bem hidratado. Mas, se a tonalidade for escura, geralmente o indivíduo tem sinais de desidratação.

Além de água, chá, suco e água de coco, outra forma de reidratar o corpo é com soro caseiro. Modo de preparo da substância oral:

1 copo de água de 200 ml;

1 medida rasa de sal;

2 medidas rasas de açúcar;

Misture e prove.  





Calendário MetaFísicos 2019 se inspira na estética dos anos 1980

Calendário MetaFísicos 2019 se inspira na estética dos anos 1980
collaborated Redação
photo Cortesia

Em primeira mão, o GPS|Lifetime revela alguns cliques do badalado calendário. O lançamento acontece neste sábado, 15, no B Hotel, e tem como mestre de cerimônia a diretora de conteúdo do portal, Paula Santana

 

Neon trend! A clínica MetaFísicos apresenta hoje, 15, a edição 2019 do seu badalado calendário. Com exclusividade, o GPS|Lifetime mostra alguns cliques da produção. Ao todo, 23 pacientes do nutricionista Clayton Camargo posaram de acordo com o tema 'Neon'.

A temática revive a estética dos anos 1980, resgatando o ritmo frenético da ginástica de academia, com muita acrobacia, comum àquela época. Entre os musos e as musas desta edição estão o arquiteto Clay Rodrigues e o manager Bruno Mello

Para realizar o projeto, 37 participaram de todo o processo. Além dos modelos, 14 profissionais de backstage, como produtor, fotógrafo, cinegrafista, apoio logístico, pessoal de cabelo e maquiagem estiveram envolvidos. 

O time de estrelas de cada edição é escolhido dentre aqueles pacientes que superaram o desafio de emagrecer ao adotarem um estilo de vida saudável, com alimentação e exercícios físicos. Com o anuário, o nutricionista espera que os modelos se tornem fonte de inspiração para quem busca qualidade de vida.

O lançamento acontece neste sábado, 15, no B Hotel e tem como mestre de cerimônia a diretora de conteúdo do GPS|Lifetime, Paula Santana.

 

 




Leia também: MetaFísicos no ar: Clayton Camargos e Sérgio Morum falam sobre famoso "bumbum na nuca"

Uma febre nacional, o famoso "bumbum na nuca" é tema do segundo episódio de Metafísicos no ar, série desenvolvida por Clayton Camargos e o cirurgião plástico Sérgio Morum, sócios da clínica Metafísicos, em parceria com o videomaker Pedro Lino. O programa trata de saúde, exercícios e bem-estar e, esta semana, se debruça sobre a paixão das brasileiras (e, por quê não, os brasileiros).