GPS Lifetime GPS Lifetime

Câncer de próstata: quanto antes detectar, maior chance de tratar

Câncer de próstata: quanto antes detectar, maior chance de tratar
photo Reprodução

O mês de novembro é dedicado à saúde do homem que, na maioria das vezes, deixa de procurar ajuda especializada por preconceito

 

Todo dia é dia de cuidar da saúde. Mas o mês de novembro tem um apelo em especial aos homens. Depois abordar na coluna sobre o câncer de mama, agora é a vez de focar no público masculino e chamar atenção para o câncer de próstata. Batizado de Novembro Azul, o período foi escolhido para a campanha mundial de conscientização a respeito da prevenção e do diagnóstico precoce da doença.

De acordo com dados do Instituto Nacional de Câncer (Inca), a estimativa é que em todo o ano de 2018 serão diagnosticados 68 mil novos casos da doença, sete mil a mais do que no ano passado. Além de ser o mais incidente entre os brasileiros, é o segundo que mais mata homens, atrás somente do câncer de pulmão. Em média, são mais de 13.700 vítimas por ano.

O motivo da alta taxa de mortalidade está diretamente relacionado ao diagnóstico tardio, o que dificulta o tratamento e, possivelmente, a cura. Tecnicamente os urologistas recomendam o exame de toque retal quando o homem completa 50 anos. Mas, em situações de fatores de risco, é necessário adiantar em 10 anos o procedimento clínico.

Glândula pertencente ao aparelho reprodutor masculino, a próstata fica abaixo da bexiga e na frente do reto e da uretra. Sua função é produzir o líquido que compõe o sêmen, bem como proteger e nutrir os espermatozóides. O câncer na região é resultado da proliferação anormal e desordenada das células da própria próstata.

Sintomas

A doença em estágio inicial normalmente não manifesta sinais e se desenvolve de forma lenta. Por ser assintomática, grande parte dos pacientes descobre ter câncer de próstata após o resultado de exames de rotina ou em fase avançada. Dentre os sintomas apresentados estão fluxo urinário fraco ou interrompido, impotência, sangue no líquido seminal, fraqueza ou dormência nas pernas e pés, dor durante a micção e perda do controle da bexiga.

Diagnóstico

Como o câncer de próstata não causa sintomas no início de sua evolução, é aconselhado que os homens após os 50 anos façam regularmente exames que permitam avaliar as alterações na próstata, como o toque retal e a dosagem de PSA (antígeno protático específico). Tais procedimentos não confirmam se o indivíduo tem câncer, no caso, apenas sugerem a necessidade de realizar outros procedimentos.

Por exemplo, se durante o toque retal o médico apalpar um nódulo, a próstata deve ser mais investigada por meio de uma ultrassonografia, ressonância magnética e biópsia. O mesmo ocorre quando os níveis de PSA estão acima da média.

Prevenção

Como foi falado anteriormente, recomenda-se o toque retal quando se completa 50 anos, pois a idade é considerada um estimulante para doença. Mas, os homens com casos da patologia na família devem realizar o exame aos 40 anos e com periodicidade anual ou bianual. Estatísticas comprovam que esses indivíduos têm maior chance de desenvolver os tumores devido à genética ser um fator de risco para o câncer de próstata.

Alimentação, obesidade, doenças sexualmente transmissíveis (DSTs), tabagismo e consumo excessivo de álcool também são fatores de risco por facilitar ou promover o desenvolvimento da doença.

Tratamento

O tratamento depende da gravidade e do estágio do tumor. Mas, o maior aliado para uma terapêutica eficaz é detectar a doença nas fases iniciais. Desse modo, aumentam as chances de cura e impede que a patologia se espalhe para outros órgãos – ou seja, metástase.

Dentre os procedimentos disponíveis para a retirada do tumor estão a quimioterapia, radioterapia e prostatectomia – cirurgia para retirar a próstata.

Fica a dica!

Homens, não deixem de ir ao médico, principalmente se tiver algum fator de risco. A doença não apresenta sintomas no início, por isso, quanto antes descobrir o câncer de próstata, maior é a chance de cura.

O Novembro Azul tem um apelo maior ao câncer de próstata, mas o mês é dedicado à saúde do homem que, na maioria das vezes, deixa de procurar ajuda especializada por preconceito. Desse modo, a importância de conscientizar o público masculino sobre se cuidar deve ser não apenas em um mês, mas durante todos os 365 dias que compõem um ano.





Calendário MetaFísicos 2019 se inspira na estética dos anos 1980

Calendário MetaFísicos 2019 se inspira na estética dos anos 1980
collaborated Redação
photo Cortesia

Em primeira mão, o GPS|Lifetime revela alguns cliques do badalado calendário. O lançamento acontece neste sábado, 15, no B Hotel, e tem como mestre de cerimônia a diretora de conteúdo do portal, Paula Santana

 

Neon trend! A clínica MetaFísicos apresenta hoje, 15, a edição 2019 do seu badalado calendário. Com exclusividade, o GPS|Lifetime mostra alguns cliques da produção. Ao todo, 23 pacientes do nutricionista Clayton Camargo posaram de acordo com o tema 'Neon'.

A temática revive a estética dos anos 1980, resgatando o ritmo frenético da ginástica de academia, com muita acrobacia, comum àquela época. Entre os musos e as musas desta edição estão o arquiteto Clay Rodrigues e o manager Bruno Mello

Para realizar o projeto, 37 participaram de todo o processo. Além dos modelos, 14 profissionais de backstage, como produtor, fotógrafo, cinegrafista, apoio logístico, pessoal de cabelo e maquiagem estiveram envolvidos. 

O time de estrelas de cada edição é escolhido dentre aqueles pacientes que superaram o desafio de emagrecer ao adotarem um estilo de vida saudável, com alimentação e exercícios físicos. Com o anuário, o nutricionista espera que os modelos se tornem fonte de inspiração para quem busca qualidade de vida.

O lançamento acontece neste sábado, 15, no B Hotel e tem como mestre de cerimônia a diretora de conteúdo do GPS|Lifetime, Paula Santana.

 

 




Leia também: MetaFísicos no ar: Clayton Camargos e Sérgio Morum falam sobre famoso "bumbum na nuca"

Uma febre nacional, o famoso "bumbum na nuca" é tema do segundo episódio de Metafísicos no ar, série desenvolvida por Clayton Camargos e o cirurgião plástico Sérgio Morum, sócios da clínica Metafísicos, em parceria com o videomaker Pedro Lino. O programa trata de saúde, exercícios e bem-estar e, esta semana, se debruça sobre a paixão das brasileiras (e, por quê não, os brasileiros).