GPS Lifetime GPS Lifetime

Brasília Infinita: Mercedes Urquiza, a “aventureira”

Brasília Infinita: Mercedes Urquiza, a “aventureira”
collaborated Rebeca Oliveira
photo Luara Baggi

Mercedes Urquiza deixou a Argentina e mudou-se para Brasília em 1957, quando a capital ainda nem estava no mapa. História é contada em livro recém-lançado

 

Sempre que Brasília faz aniversário é comum ouvir histórias de pioneiros que participaram da saga da construção da nova capital. São raros ou menos comuns os relatos de mulheres que viveram nesse período. Em tempos de empoderamento feminino, o GPS|Lifetime foge do óbvio a dá a palavra à Mercedes Urquiza, argentina que fez do quadradinho do Distrito Federal um lar em 1957, antes mesmo da cidade ser erguida.

“Quando cheguei, haviam apenas cinco mil pessoas na cidade e pouquíssimas eram mulheres. Talvez seja esse o motivo para que elas não apareçam nas memórias. Decidi vir motivada por um misto de querer começar uma nova vida e uma sede por aventura”, relembra.

"Apesar de sermos poucas, todas tínhamos objetivos de trabalho e de participação na construção de Brasília. Era um momento de muita solidariedade, todo mundo estava irmanado com esse objetivo que era inaugurar a capital em 21 de abril de 1960. Como um grande grupo de amigos, tanto engenheiros quanto empresários, operários, enfim, todo tipo de gente, estava torcendo pela mesma coisa", afirma.

Mercedes e Hugo no baile de inauguração de Brasília

Um presente para a capital foi o lançamento de A Trilha do Jaguar: na Alvorada de Brasília, uma "biografia" local pela visão da pioneira, publicada pela Editora Senac DF. Durante todo o mês de abril, a publicação está com 30% de desconto, em ocasião dos 58 anos de BsB. São 250 páginas separadas em 30 capítulos, que começam com a viagem de Mercedes e o marido, Hugo Maschwitz, aos 18 e 21 anos, respectivamente. Apenas com alguns pertences em um baú, deixaram Buenos Aires em uma confortável situação financeira rumo à capital, onde começaram a vida do zero.

Esse gesto, hoje tão comum entre a geração millennial, era considerado quase uma loucura à época - exceto quando o motivo do êxodo eram os horrores de guerras. "Não era algo normal, ainda mais para uma mulher. Curiosamente, recebi muitos jovens no lançamento do livro, da geração dos meus netos, interessados nas minhas vivências. Isso incentiva quem quer iniciar algo novo na vida. Mostra que, apesar de muita dificuldade, tudo é possível quando a gente acredita", defende.

 
 

Oi, Brasília! 

Ao chegarem, depois de quase 50 dias de viagem, uma nova realidade aguardava Mercedes e Hugo. Nada de luxo ou glamour. Moraram na Cidade Livre, em um barraco de madeira sem luz, sem água e sem telefone. Por anos, Urquiza e o companheiro trabalharam com a venda de material de construção. Pouco luxo para quem é tataraneta do General Urquiza, ex-presidente da Argentina. E ela nem se importou. Em curto tempo já estava estabelecida. Amava o trabalho e esforçou-se para ascender por conta própria.

"Não sabíamos o que iríamos fazer. Procuramos várias possibilidades, e descobrimos que, realmente, o material de construção era o elemento mais necessário, já que nas iam precisar de toneladas deles nas obras", recorda.

Em 1962, o casal fundou a primeira agência de viagens da nova capital, no recém-inaugurado Hotel Nacional. Foram um dos primeiros a morar na W3 Sul, em uma das 500 casas erguidas na avenida.

E o livro não é a primeira iniciativa de Urquiza para honrar a capital que a acolheu há décadas. Fazem mais de 15 anos que a pioneira promove exposições de fotos que narram a saga de Brasília.  O catálogo é composto por imagens cedidas pelo sueco Ake Borglund.

A exposição mais recente aconteceu na sede da ONU em Nova York, em outubro de 2017; e na Embaixada do Brasil em Washington, em janeiro deste ano.

Um dos nomes que mais a emocionam pode ser resumido em duas letras: JK. O ex-presidente, para Mercedes, faria milagres se hoje estivesse vivo. "Era um governante único. Jamais teremos alguém como ele", finaliza. 

 


B-day Selena Gomez: sempre nos holofotes, cantora responde críticas da mídia

B-day Selena Gomez: sempre nos holofotes, cantora responde críticas da mídia
photo Reprodução

Personalidade do globo com o maior número de seguidores no Instagram – ao todo são 126 milhões, Selena Gomez comemora 26 anos, neste domingo, 22. Em 2018, além de ter sido consagrada como o rosto das grifes Coach e Puma, a atriz e cantora norte-americana não saiu dos holofotes.

Dentre tantas opiniões ao seu respeito, a celeb mostra que além de talentosa, tem muito amor próprio e esbanja carisma. Sempre que pode, ela compartilha momentos intimistas ao lado de familiares e amigos na rede social.

 

O GPS|Lifetime listou três vezes que a rainha do Instagram reagiu bem ao seu estilo às críticas da mídia. Confira!

 

1 – Noivado de Justin Bieber: depois do ex Justin Bieber ter pedido a modelo Hailey Baldwin em casamento, Selena Gomez voltou aos holofotes. Tudo o que a mídia mais queria saber era como a atriz estava durante e após o anúncio repentino. No momento em que foi revelado o pedido, a celeb foi fotografada bem plena por amigos em um iate de luxo, em Nova York. Vida que segue!

 

 

2 – Met Gala 2018: idealizado pela stylist Kate Young, a produção da atriz foi considerada over e não agradou muito os internautas. Assim que passou pelo red carpet do evento, Selena foi metralhada nas redes sociais devido às escolhas para o outfit. O vestido e o penteado foram bastante criticados, mas a make, ganhou destaque pelo excesso de bronzer. A reação dela: levou tudo na brincadeira e, dias depois, compartilhou um vídeo engraçado contando sua rotina antes de chegar ao Met Gala.

 

 

3 – My body: não é de hoje que o corpo de Selena recebe duras críticas. Durante um passeio de barco em Sidney, na Austrália, a cantora foi fotografada e às imagens ao serem divulgadas, receberam comentários maldosos. Quando o episódio ocorreu em março, a jovem tinha feito um transplante de rim. Nas fotos, deu possível para ver as cicatrizes da cirurgia. Empoderada, Selena rebateu as publicações por meio de um vídeo em que fala sobre o mito e obsessão pela perfeição física. Inspiradora!

 

 

Parabéns, Selena. GPS|Lifetime deseja felicidades!