GPS Lifetime GPS Lifetime

Mestre das artes: GPS|Brasília apresenta Lorenzo Merlino

Mestre das artes: GPS|Brasília apresenta Lorenzo Merlino
collaborated Theodora Zaccara
photo Reprodução/Instagram

Estilista, empresário, professor. Conheça o mestre do curso FAAP Histórias da Arte e as suas Relações com a Moda, que chega em janeiro a Brasília 
 

Quando questionado sobre o surgimento do interesse para a moda, Lorenzo Merlino não mente, mas surpreende: “Eu não tenho aquela historia tradicional de infância. Comigo foi diferente,” conta o estilista, guru e estudioso paulistano. Desde pequeno, ele gostava de desenhar, mas admite: “não mais do que qualquer outra criança”. Na adolescência, a pressão de escolher uma área de trabalho o empurrou no caminho da administração, jornada que logo tratou de desfazer. “Minha família tinha um negócio na área, fazia sentido ir por essa direção”. Entretanto, foi infeliz no curso e no ofício, e obrigado a represar por completo as ambições profissionais.

 

Foi aí que a sensibilidade para as artes e um olho para o belo gritaram mais forte. O então jovem Lorenzo, um homem sem pátria, decidiu, sem muito aviso, apostar na moda - tentativa cujo final foi feliz.

 

Hoje, o designer que ostenta uma lista de clientes como Madonna, Kate Winslet e Kirsten Dunst se prepara para, no mês que vem, desembarcar na capital em parceria com a faculdade FAAP. No mês de janeiro, o mestre comanda o curso "História da Arte e suas Relações com a Moda", que se propõe a aprofundar as relações dessas duas vertentes do design. “Hoje, com a internet, temos acesso à uma infinidade de imagens. O objetivo do curso é aprender a enxergá-las, e digerir essa informação que temos”, explica o professor,. “Você pode e deve desenvolver um olho para entender a imagem, decriptá-la, dissecá-la, realmente ir atrás e perceber o que ela está se manifestando” completa.

 

Arte por toda parte: em meio a hashtags e "arrobas", Lorenzo faz o casamento entre suas duas paixões, moda e arte

 

Da primeira à quarta e última aula, o curso passeia faz um recorte histórico-geográfico dos principais movimentos de arte desde a pré-história, e como eles afetaram a moda de ontem e de hoje, “Existe uma interdependência que precisa ser estudada, a moda sempre dependeu da arte, mas atualmente, por uma questão econômica, podemos dizer que a arte que está sujeita à moda“, esclarece. O último tópico, O futuro da Moda e o futuro da Arte, deixa uma “pulga atrás da orelha”, sem dúvidas, e promete um desfecho interessante, visto que o próprio mestre acaba de engajar em novos planos no horizonte.

 

 

Batizada de Noto, a nova proposta do desenhista faz um paralelo entre clássico e contemporâneo, apresentando o homem moderno à tradição da alfaiataria bem cortada. “A alfaiataria é um produto que exige do consumidor um tempo que ele não tem mais”. A marca, lançada há dois meses, promove atendimento personalizado e individual para o público masculino que procura peças sob medida, e já conquistou clientes como o influencer e fashionista Alberto Solon. “Pensamos no nosso cliente em tudo que fazemos, e em como atender as necessidades do homem contemporâneo”, comenta Lorenzo.

Por falar em futuro, o desenhista, que já emprestou sua visão criativa para marcas como Speedo, Nike, Havaianas, Chilli Beans e Le Postiche, também é um dos nomes por trás de uma das semanas de moda mais respeitadas do Brasil: a Casa dos Criadores.

Fundado em 1997, o evento nasceu de uma vontade coletiva para que novos designers tivessem um contato maior com o mercado da moda brasileira. Atualmente, é um dos maiores palcos para estilistas em ascensão no país, e teve o dedo de Lorenzo na concepção, anos atrás.  “Tenho muito orgulho do projeto, acho que é o evento mais representativo da moda da juventude. Mesmo tendo 20 anos 'de idade', ele continua jovem em seu formato”, confessa.

E se sucesso no mercado de moda é o objetivo, o conhecimento de história da arte é imprescindível. Mas nada acontece por mágica! Como colocado por Merlino, “a faculdade serve pra te ajudar a organizar as ideias. O ofício você aprende exercendo.”


Calendário MetaFísicos 2019 se inspira na estética dos anos 1980

Calendário MetaFísicos 2019 se inspira na estética dos anos 1980
collaborated Redação
photo Cortesia

Em primeira mão, o GPS|Lifetime revela alguns cliques do badalado calendário. O lançamento acontece neste sábado, 15, no B Hotel, e tem como mestre de cerimônia a diretora de conteúdo do portal, Paula Santana

 

Neon trend! A clínica MetaFísicos apresenta hoje, 15, a edição 2019 do seu badalado calendário. Com exclusividade, o GPS|Lifetime mostra alguns cliques da produção. Ao todo, 23 pacientes do nutricionista Clayton Camargo posaram de acordo com o tema 'Neon'.

A temática revive a estética dos anos 1980, resgatando o ritmo frenético da ginástica de academia, com muita acrobacia, comum àquela época. Entre os musos e as musas desta edição estão o arquiteto Clay Rodrigues e o manager Bruno Mello

Para realizar o projeto, 37 participaram de todo o processo. Além dos modelos, 14 profissionais de backstage, como produtor, fotógrafo, cinegrafista, apoio logístico, pessoal de cabelo e maquiagem estiveram envolvidos. 

O time de estrelas de cada edição é escolhido dentre aqueles pacientes que superaram o desafio de emagrecer ao adotarem um estilo de vida saudável, com alimentação e exercícios físicos. Com o anuário, o nutricionista espera que os modelos se tornem fonte de inspiração para quem busca qualidade de vida.

O lançamento acontece neste sábado, 15, no B Hotel e tem como mestre de cerimônia a diretora de conteúdo do GPS|Lifetime, Paula Santana.

 

 




Leia também: MetaFísicos no ar: Clayton Camargos e Sérgio Morum falam sobre famoso "bumbum na nuca"

Uma febre nacional, o famoso "bumbum na nuca" é tema do segundo episódio de Metafísicos no ar, série desenvolvida por Clayton Camargos e o cirurgião plástico Sérgio Morum, sócios da clínica Metafísicos, em parceria com o videomaker Pedro Lino. O programa trata de saúde, exercícios e bem-estar e, esta semana, se debruça sobre a paixão das brasileiras (e, por quê não, os brasileiros).