GPS Lifetime GPS Lifetime

Enoturismo ganha cada vez mais força no Vale dos Vinhedos

Enoturismo ganha cada vez mais força no Vale dos Vinhedos

Região se consolida como roteiro de bons vinhos e boa gastronomia

É cada vez mais comum ouvir gente dizendo que visitou uma vinícola, que fez um tour pelo Vale dos Vinhedos ou que acompanhou o processo de vinificação durante um passeio. Se você é do tipo que curte uma viagem com programação diferente, deve ter na sua agenda ou incluir no seu calendário de viagens uma ida ao sul do país.

 



O centro das atrações é a cidade de Bento Gonçalves, a chamada “capital brasileira do vinho”, com rica tradição de imigrantes italianos que se dedicam à produção da bebida desde sua chegada à região em 1875. Bento – como é conhecida por seus moradores – fica, aproximadamente uma hora de Porto Alegre, de carro partindo do aeroporto. As paisagens do trajeto rendem boas fotos e o viajante passa por várias vinícolas e pode ir parando. O Vale dos Vinhedos passou a desenvolver o turismo dos vinhos e atualmente tem mais de 70 vinícolas, pertencentes a 30 famílias.


Tomar espumantes de baixo do parreiral deitado em um edredom. Já pensou nisso? Pois é, o piquenique entre os parreirais, regado a espumantes e bons vinhos, é um dos programas diferentes e imperdíveis da região e que vem conquistando os turistas que visitam o Vale dos Vinhedos. Há até quem reserve o espaço para fazer pedido de casamento. Mais romântico impossível! Um dos locais que oferece o programa é uma vinícola pequena e familiar, que é puro charme, a Cristófoli, que fica no distrito de Faria Lemos.

Logo na chegada você é recebido com uma taça do espumante rosé da casa. Entre um grissini e outro, o papo vai fluindo com a enóloga da marca que é quem te recebe e te leva para o parreiral, onde está o edredom, estendido entre as videiras. Além dos espumantes com piquenique, o visitante também pode optar por almoçar ou jantar no Spazio del Vino, também na propriedade e estender a programação. A capacidade do local é para 20 pessoas. Uma experiência muito agradável!  

Outra programação que vem movimentando a Serra Gaúcha é a colheita das uvas. Cortar os cachos é uma das atividades turísticas que vem encantando os amantes do vinho. E o melhor: o programa pode ser feito durante o dia ou de noite. As colheitas noturnas, acontecem durante a lua cheia, com direito à música e mais vinhos e espumantes locais.
 

E não é só isso! Tem ainda passeios de jipe, tour de bike, aulas e degustações a perder de vista. A Dal Pizzol, uma das vinícolas mais antigas de lá, é um verdadeiro museu ao ar livre, onde o turista pode conhecer mais de 500 tipos de uvas. Outro programa muito interessante é o passeio na Salton onde, além de degustações de vinhos e espumantes, o cliente ainda pode optar também por um delicioso e tradicional almoço italiano na adega de pedra da vinícola.

 

E para quem acha que passeios por vinícolas são sempre iguais, vai se surpreender com a programação de uma das vinícolas mais badaladas do país, a Cave Geisse. Eles oferecem um passeio de jipe 4x4 pelos vinhedos e serve um de seus espumantes premiados internacionalmente em um mini deck, de frente para uma cachoeira. Um visual de tirar o folêgo.

 

 

Outra novidade entre os passeios turístico e culturais da região são os circuitos de bike oferecido por hotéis locais. Os roteiros são variados e vão de duas a oito horas de duração. Um micro-ônibus leva o visitante do hotel ao ponto de partida, onde estão as bicicletas e o guia. Equipamentos de segurança, como o capacete, estão incluídos.

Dependendo do roteiro escolhido, o passeio ainda tem direito à uma parada na Casa da Ovelha, local que oferece degustação, pastoreio de ovelhas e amamentação de cordeiros, além de uma pequena loja de laticínios (queijos e iogurtes de cabra, sem lactose). Esse é ideal para quem viaja com crianças.



 

SERVIÇO

Cristofoli: Estrada RS 431 km 6, Faria Lemos.

Dal Pizzol: RS 431 km 5, Faria Lemos.

Que tal de bike?: dallonder.com.br.

Cave Geisse: Tour de 4x4 com espumante. dgeisse@vinicolageisse.com.br

Salton: Visitação com degustação pela Cave Evolução turismo@salton.com.br

 


Morre, aos 113 anos, o homem mais velho do mundo

Morre, aos 113 anos, o homem mais velho do mundo
collaborated Gustavo Azevedo
photo Reprodução

O centenário faleceu de causas naturais enquanto dormia

 

Morreu neste domingo, 20, o homem o mais velho do mundo, segundo o livro Guinness dos Recordes. A informação foi confirmada pela imprensa japonesa. Masazo Nonaka tinha 113 anos e faleceu enquanto dormia em sua casa, no norte do Japão, de causas naturais.

Nonaka nasceu em 25 de julho de 1905. A mulher e três dos filhos do centenário já haviam morrido.

O Guinness reconheceu Nonaka como o homem mais velho do globo no ano passado, após a morte do espanhol Francisco Núñez Olivera.