GPS Lifetime GPS Lifetime

Instituto Bem Cultural: nova gestão do Espaço Renato Russo

Instituto Bem Cultural: nova gestão do Espaço Renato Russo
collaborated Roberta Pinheiro
photo Luara Baggi

A instituição fará a gestão compartilhada do Espaço Cultural Renato Russo junto a Secretaria de Cultura. Manter uma relação com a história do local, promover atividades multidisciplinares e focar no atendimento ao público são algumas das premissas do Instituto Bem Cultural


"É preciso parar de pensar que dinheiro para cultura é dinheiro para o artista. O foco é a população, e as mudanças na área só vão acontecer quando a sociedade reivindicar por elas."

É com essa postura, incisiva e direta, que Leonardo Hernandes, vice-presidente do Instituto Bem Cultural, começa a conversa com o GPS|Lifetime. No final de novembro, a organização do qual o ator e gestor em políticas públicas faz parte assinou uma parceria com a Secretaria de Cultura para a gestão compartilhada do Espaço Cultural Renato Russo, na altura da 508 Sul.

Depois de cinco anos fechado por problemas estruturais, o local voltou a respirar. No lugar dos tapumes, pichações, poeira e sujeira, arte. Em suas diferentes linguagens. A cultura, como um bom filho, à casa torna, e o  Espaço Cultural Renato Russo volta a pulsar.

No primeiro semestre do ano, a Secretaria de Cultura lançou um edital a fim de selecionar um grupo para planejar e coordenar a programação do espaço junto ao governo.

À frente de ações como o Projeto Território Criativo DF, do Carnaval Multicultural do CCBB Brasília e do Arraiá CCBB, a instituição, de direito privado e sem fins lucrativos, foi criada em 2011.

"Cobaia" desse modelo de gestão compartilhada, Leonardo recorda: o que animou o grupo a se inscrever no edital foi a preocupação com o público. "É algo urgente e, ao mesmo tempo, um grande desafio."

Além de seguir as premissas estipuladas pelo edital, o Instituto Bem Cultural propôs, como foco, atividades que tenham relação com a história do espaço. "E que permitam o acesso do público em geral, bem como o acesso ao fazer artístico", complementa Leonardo.

Criado em 1974, o centro é um ambiente multidisciplinar, com espaço para todas as expressões artísticas: as galerias Rubem Valentim e Parangolé, o teatro Galpão, a sala de filmes Marco Antônio Guimarães, a biblioteca e a gibiteca – com todo o seu acervo raríssimo.

Sem falar em sua localização, que permitiu que o Espaço Cultural Renato Russo se tornasse um ponto acolhedor, democrático e acessível.

Em um primeiro momento, o Instituto Bem Cultural convidou o Coletivo Instrumento de Ver e o grupo de teatro do diretor Hugo Rodas, dois grupos que já eram residentes no local, para permanecer lá. "O espaço tem também um caráter dedicado à pesquisa e à residência. Queremos possibilitar isso aos grupos e coletivos", comenta Leonardo.

A instituição também planeja realizar oficinas de curta e longa duração, além de intercâmbios artísticos em parceria com a Espanha e a França. Cineclubes e um trabalho em conjunto com o Coletivo Transverso para cuidar da parte literária e da cultura urbana com saraus e intervenções também estão nos projetos. "A ocupação será feita a partir da demanda do local e da carência da população. Queremos dar um perfil para o espaço", define.  

Leonardo viveu no Espaço Cultural Renato Russo nos tempos de ouro. Ele lembra com carinho das atividades, dos encontros e das trocas que aconteciam ali. "As pessoas se encontravam nas escadas e, por aqui, ficavam. Isso mudou, não é mais a mesma juventude", comenta o gestor. Para atingir um novo público, o instituto tem apostado na comunicação via redes sociais e planeja disponibilizar internet Wi-Fi no centro cultural.

 

 

 




Outros dois focos de trabalho, segundo Leonardo, serão a programação voltada para a primeira infância e o desenvolvimento da cultura nesta fase da vida, bem como programas educativos com mediadores voltados ao atendimento aos visitantes.

Nesta sexta, 7, o Instituto Bem Cultural e a Secretaria de Cultura vão lançar a política setorial do teatro e a parceria de gestão do local. Na ocasião, haverá um coquetel e a apresentação do espetáculo O Cano, comemorando 20 anos com o Circo Teatro UdiGrudi.

Além disso, a instituição publicará um chamamento público para que grupos, coletivos e artistas se inscrevam tanto nas residências quanto nas pautas para uso do espaço.

'Vamos adotar um olhar curatorial de qualidade", aponta Leonardo. O convite à participação da sociedade será feito a cada três meses e as propostas devem englobar a multidisciplinaridade do Espaço Cultural Renato Russo e conteúdos transversais.

O Instituto Bem Cultural ainda está de olho em outras atividades para prospectar e em busca de recursos. Quem coordena a programação é Sérgio Bacelar. Um dos nomes que já estão certos para ocupar as galerias do local em 2019 é a fotógrafa Zuleika de Souza.

 


Rede Pão de Açúcar inaugura loja e site dedicados ao vinho

Rede Pão de Açúcar inaugura loja e site dedicados ao vinho
photo Reprodução

Os apreciadores de vinho já podem contar com um novo local para adquirir rótulos e acessórios, selecionados. O Pão de Açúcar entrou na onda do e-commerce e lançou uma plataforma totalmente especializada em vinhos, é o Pão de Açúcar Adega. A marca lançou ainda um aplicativo e uma loja física, mas apenas na cidade de São Paulo.

No e-commerce ou na loja, será possível encontrar uma variedade única de vinhos (1,9 mil rótulos no site e 1,4 mil na loja física), de 16 países, com preços que variam entre R$ 40 e R$ 8 mil, seja para o dia-a-dia ou para ocasiões especiais. Destaque para rótulos como Cloudy Bay, Sassicaia, Pera Manca, Nuits Saint Georges e Chablis Louis Jador, que não são encontrados nos supermercados.
 

A plataforma contará também com uma seleção de acessórios, como abridores, decanters e taças – uma das apostas são os conjuntos Riedel, marca de renome internacional e ideal para vinhos de alta qualidade. Tudo passado pelo crivo do consultor de vinhos da rede, o enófilo Carlos Cabral, uma das maiores autoridades do assunto no país. Além disso, terá alguns dos melhores rótulos de destilados, como uísques, vodcas, gins e tequilas, selecionados de acordo com tendências de consumo.

 

Para quem mora em São Paulo e passar pela loja física encontrará quatro atendentes para orientar nas compras e fornecer dicas sobre os produtos. Todos trabalhavam anteriormente em lojas Pão de Açúcar e foram formados por Cabral. O espaço foi preparado para ser convidativo e agradável, desmitificando que “comprar vinho é complicado”. Um painel mostra as uvas típicas de cada país e os respectivos vinhos; a disposição das gôndolas foi pensada para facilitar o encontro do rótulo desejado. No fundo da loja, um espaço agradável servirá de ponto de encontro para aulas, cursos, degustações, além de eventos especiais.

 

O bom disso tudo é que o Pão de Açúcar Adega entregará em todo o Brasil, inclusive locais em que não há loja física da rede. 

Para assinar, basta acessar o site www.paodeacucar.com/adega.