GPS Lifetime GPS Lifetime

Novo projeto de Fernando Guimarães traz triângulo amoroso aos palcos do Dulcina

Novo projeto de Fernando Guimarães traz triângulo amoroso aos palcos do Dulcina
collaborated Redação
photo Cortesia

Em Três vezes te enganei, o diretor Fernando Guimarães revela o comportamento humano em situações de paixões exarcebadas e outras em que o amor e as expectativas não são correspondidos 

Em novo projeto, o diretor Fernando Guimarães tem o amor, o ciúmes e a paixão como tônicas. Ele cria um diálogo que opera a partir da natureza humana e da alma das coisas. O ponto de partida e a concepção de Três vezes te enganei surgiram da peça Play, de Samuel Beckett, onde três personagens relatam um caso amoroso vivenciado entre eles: marido, esposa e a amante. No entanto, cada qual apresenta a sua versão dos fatos. O espetáculo estreia no sábado, 14, e fica em cartaz até o dia 20, com sessões diárias de sábado a sexta-feira, às 20h, no Teatro Dulcina, com entrada gratuita e ingressos distribuídos com um a hora de antecedência no próprio local.  

A combinação de neuroses, sensações reais ou não e paranoia parecem abrir caminhos para atos extremados e certezas inabaláveis em nome do amor - tragédias anunciadas em nome da paixão e dos ciúmes. Com muita ironia, humor nervoso e surreal, o espetáculo revela o comportamento humano em situações de paixões exacerbadas e em outras quando esse sentimento não corresponde mais as expectativas amorosas. A encenação conta com relatos de casos reais e outros livremente inspirados em diversos autores, entre eles Nelson Rodrigues e Marguerite Yourcenar.

SERVIÇO:
O que: Três vezes te enganei
Direção e Cenário: Fernando Guimarães
Elenco: Adair Ollivez, Alex Ribeiro, Aline Machado, Bete Virgens, Carlos Neves, Ellen Gonsioroski, Fabrício Vital, Filipe Moreira, Leonardo Teles, Letícia Souza,  Logan Dias, Maria Moreira, Raquel Mendes e Sérgio Tavares
Fotos: Studio Sartoryi
Quando: de 14 a 20 de julho
Horário: de sábado, 14,  a sexta, 20; às 20h
Duração: 1h20
Onde: Teatro Dulcina, Setor de Diversões Sul – CONIC
Entrada gratuita – distribuição de ingressos uma hora antes do espetáculo
Classificação indicativa: 14 anos

 


Kakay celebra casamento em Arraial d'Ajuda

Kakay celebra casamento em Arraial d'Ajuda
photo Cortesia

Durante os votos de felicidades aos noivos, célebre jurista homenageou a mulher, Valéria

 

A pedido dos pombinhos, o renomado advogado Antônio Carlos de Almeida Castro, conhecido como Kakay, celebrou a união de Bibi Moura e Frederico Vilaça nesse sábado 22, em Arraial d'Ajuda, Bahia. De clima bucólico, a cerimônia contou com a presença de 300 convidados, e foi de emocionar. 

Para tornar o momento especial, Kakay imprimiu, para cada invitado, três poesias, incluindo Eros e Psique, de Fernando Pessoa. Logo no início do discurso, o jurista pediu para que todos o acompanhassem na leitura dos versos. 

Após o coro, o orador discorreu sobre o amor, a solidariedade, a paixão e a importância da individualidade em um relacionamento a dois. Também prestou homenagem a mulher, Valéria, desejando aos recém-casados a mesma felicidade que vivencia ao lado da amada. 

Abaixo, confira o discurso na íntegra. 

"É muito difícil falar sobre o amor para pessoas tão jovens. Mas eu vejo na Bibi e no Frederico um amor maduro, se é possível falar em maturidade na idade deles. Mas o amor, queridos, não tem que ter a densidade da maturidade, basta-lhe a densidade dele em si. E não estou a dizer do amor pelos pais ou, meu Deus, pelos filhos, falo do amor carnal, do desejo, da paixão, da angústia da falta, da ansiedade do toque, do cheiro... deste amor que mantém a humanidade, que reproduz, que fragiliza mas eterniza. Conheci, Bibi e Frederico, este amor maduro na Valéria e, se eu puder desejar algo a vocês dois, desejo que sejam felizes como eu sou com ela, todos os dias da minha vida. Tesão, respeito, solidariedade, paixão fazem a hipótese da vida a dois. A melhor maneira de ter uma vida de casal, talvez a única, é ser inteiro e ter uma vida própia. Nunca abrir mão dos sonhos, dos delírios e não achar que tudo tem que ser vivido a dois. A solidão faz bem. É um direito nosso. Mas, se eu não tivesse encontrado a Valéria, meus momentos de solidão seriam pesados e não intensos e felizes como são. Quero para vocês a alegria que eu tenho de compartilhar o mundo com esta mulher, de aprender todos os dias com ela. E, quando os Ericos chegarem, nesta materialização do amor indizível, quero que vocês continuem a ser um casal apaixonado, dedicado, entregues ao amor a dois. Ser feliz é uma conquista diária, as vezes árdua, mas vale a pena. E nós temos, sobre nossas vidas, o manto celeste que nos abriga e protege. É uma alegria compartilhar este momento com vocês". 

Valéria e Kakay, eternos enamorados