GPS Lifetime GPS Lifetime

Exposição retrata a Belle Époque francesa no século XX

Exposição retrata a Belle Époque francesa no século XX
collaborated Redação
photo Cortesia

Seleção de obras são do artista Cândido de Faria no CCBB Brasília

 

O Centro Cultural Banco do Brasil Brasília recebe a exposição Cândido de Faria – Um Brasileiro em Paris, do dia 7 de novembro ao dia 30 de dezembro, uma coletânea de 18 cartazes produzidos pelo artista para a companhia Cinematográfica Phaté, maior produtora de cinema da época.

Com curadoria de Germana Araújo, a exposição faz um resgate cronológico de obras em litografia, entre 1902 e 1911. A mostra faz parte da programação do 10º Lobo Fest - Festival Internacional de Filmes.

 

 

Além da exposição, o CCBB Brasília recebe também lançamento do livro Cândido de Faria um ilustrador sergipano  das artes aplicadas, de Germana Araújo, o primeiro apanhado de obras do artista durante diferentes períodos da sua vida resgatados pela autora.

Germana é professora doutora do Departamento de Artes e Design da Universidade de Sergipe e já apresentou o livro bilingüe também na Fundação Pathé em Paris, em março de 2018.

 

 

Cândido Aragozes de Faria foi um ilustrador e publicitário, tido hoje como um dos maiores caricaturistas e ilustradores do Brasil e um dos maiores do seu tempo, produzindo centenas de peças de humor e publicidade por 45 anos.

Como cartazista e ilustrador, Faria contribuiu para dar um rosto característico ao vibrante período entre o final do século XIX e início do século XX, chamado de Belle Époque, francesa e à boemia parisiense, povoada de artistas e intelectuais, em um momento em que Paris se tornava o mais dinâmico e progressista centro cultural do Ocidente.

 

 

Faria nasceu em Laranjeiras, Sergipe, em 1849 e estudou na Academia Imperial de Belas Artes do Rio de Janeiro. Sagaz e exímio caricaturista, Faria retratou em seu traço as articulações políticas e caracterizações da sociedade ao seu tempo. Trabalhou também em praças como Porto Alegre e Buenos Aires, na Argentina.

Foi em Paris, para onde se mudou em 1882, que Cândido de Farias passa a atuar como artista de comunicação e entretenimento, em criações para casas de shows e música.

Em 1902, dá início à parceria com a produtora de cinema Pathé, com grande volume de produção, cerca de 9 mil cartazes impressos em litografia a cada três meses. A parceria perdura e Faria dedica-se exclusivamente a essa produção até o seu falecimento, em 1911.

 

 

Entre as obras da exposição, cartaz para o filme “As vítimas do alcoolismo” (Les Victimes de l’Alcoolisme), de 1902, uma ilustração e composição de Cândido de Faria para o cartaz do filme “Vida e Paixão de Nosso Senhor Jesus Cristo” (“Vie et passion de Notre Seigneur Jésus-Christ”), um dos filmes de maior público da época, e ilustração para o cartaz do filme “Sous La Terreur”, uma de suas últimas obras.

 

 

Serviço

 

O que? "Cândido de Faria - Um Brasileiro em Paris"

Onde? Galeria II do CCBB (Setor de Clubes Sul, Trecho 2, Lote 22)

Quando? De 7 de novembro a 30 de dezembro





Anna Dello Russo desapega de parte de sua coleção de acessórios

Anna Dello Russo desapega de parte de sua coleção de acessórios
collaborated Bruna Nardelli
photo Vestiaire Collective

Editora de moda está cada vez mais engajada no consumo consciente 

 

Anna Dello Russo desapega mais uma vez! Após ter passado para frente 30 looks de seu arquivo com renda revertida para Central Saint Martin, em Londres, no início deste ano, a contribuinte da Vogue japonesa volta a se desfazer de itens icônicos. 

Desta vez, a ação eco-friendly é focada em sua coleção de acessórios e conta com a parceria do brechó virtual Vestiaire Collective. Para a alegria de fashionistas mundo afora, o portal já abriga as peças. Run!

Entre os itens dignos da rainha do street style, joias da Lanvin, Prada, Miu Miu, Chanel e Moschino, além de muito vintage.

Em bate-papo com o Vestiaire Collective, Dello Russo explicou a motivação por trás da iniciativa. "Colocar estas peças para circular é um dos comportamentos mais sustentáveis que podemos ter na indústria", declarou.

"Chegou um ponto da minha vida em que eu tinha coisas demais. Eu me senti pronta para começar um novo ciclo. De repente, me vi tocada pela ideia de que ter coisas em excesso pode ser algo que te impede de seguir adiante", complementou. Ela aproveitou a conversa para anunciar que a sua próxima sessão desapego será de livros.

Vale lembrar que até pouco tempo atrás a editora de moda precisava de dois apartamentos para comportar seu rico acervo. De vez em quando, é bom fazer uma limpa no closet, né? Bela ação, Anna! 

Veja também

Alexandre Birman recebe Anna Dello Russo em showroom de Paris

O destino escolhido para a apresentação da coleção outono/inverno 2018 de Alexandre Birman foi Paris. Cada vez mais reconhecida no cenário internacional, a label recebeu em março um seleto grupo de convidados, buyers e imprensa no Le Ritz, um dos hotéis mais clássicos e luxuosos da cidade luz. A icônica fashionista italiana Anna Dello Russo foi uma das personalidades que marcou presença no spot

collection foi criada a partir do olhar e alma de um verdadeiro shoemaker, onde trabalhos manuais, tressês cuidadosamente elaborados e couros especiais trazem à tona a inspiradora arte de produzir sapatos. A nova season chega com materiais exclusivos, como o couro de phyton, os suedes de toque aveludado, as nappas extremamente macias e os pelos multicoloridos em tons harmoniosos. Show!