GPS Lifetime GPS Lifetime

Historiador Leandro Karnal publica novo livro sobre família, fé e política

Historiador Leandro Karnal publica novo livro sobre família, fé e política
photo Reprodução

Especialista em História da América, Leandro Karnal conquistou as plateias da vida real e virtual. Além das aulas na Unicamp, percorre o país em palestras e ultrapassa as fronteiras geográficas nas redes sociais e em programas de televisão. Acabou se tornando um fenômeno erudito pop da atualidade. Este mês, a Editora Contexto lança mais um obra do historiador: O Mundo como Eu Vejo. Nele, Karnal convida os leitores a um debate sobre temas atuais e necessários como família, fé e política. Mais uma vez, ele vai sem medo para o confronto com seus leitores e quer levar à reflexão e tirar da zona de conforto.

Em tempos de polarizações, o autor acredita no diálogo inteligente, no debate das ideias e na busca pelo conhecimento constante. Karnal também discute aspectos da política brasileira, atualizando dados e esclarecendo pontos nevrálgicos. Além de enveredar pelos caminhos dos acontecimentos internacionais com atualidade e argúcia. A obra reúne textos publicados por ele no jornal O Estado de S. Paulo e está dividido em sete partes: Cotidiano Em Um Mundo líquido, A Família e o Tempo, História e Memória, A Música e o Mundo, Meu Brasil Brasileiro, O Mundo Como Eu Vejo e A Fé dos Religiosos e dos Ateus.


João de Deus recorrerá ao STJ para tentar prisão domiciliar

João de Deus recorrerá ao STJ para tentar prisão domiciliar
collaborated Agência Brasil

A defesa quer tentar reverter a prisão do médium

 

A defesa do médium João Teixeira de Faria, o João de Deus, de 76 anos, preso há quatro dias, recorrerá nesta quarta-feira, 19, no Superior Tribunal de Justiça (STJ) para tentar reverter a prisão preventiva em prisão domiciliar com tornozeleira. O recurso ocorre após a Justiça de Goiás negar o habeas corpus impetrado pelos advogados.

"Apenas a liminar foi apreciada e negada. O julgamento final do habeas [corpus] deverá se dar após o recesso. Discordamos da decisão e vamos recorrer ao STJ", afirmou o advogado Alberto Toron, em nota à imprensa.

Segundo o advogado, é preciso levar em conta a idade avançada e o estado de saúde do médium. Também deve ser considerado, de acordo com a defesa, o fato de o médium ter se apresentado espontaneamente à polícia e prestado esclarecimentos.

Pelo terceiro dia consecutivo, João de Deus passou a noite em uma cela de 16 metros quadrados com pia e vaso sanitário, no Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia.




Denúncias

O pedido de prisão preventiva foi decretado com base em 15 denúncias já formalizadas em Goiânia, todas por crimes sexuais. Desde a semana passada, a força-tarefa do Ministério Público de Goiás recebeu 506 relatos de crimes sexuais atribuídos ao médium.

Para o promotor Luciano Miranda, que integra a força-tarefa que investiga as acusações, o médium é suspeito da prática de pelo menos três crimes: estupro de vulnerável, estupro e violação sexual.

Ontem, 18, policiais federais, que fazem parte do grupo de força-tarefa, cumpriram mandados de busca e apreensão na Casa Dom Inácio Loyola, onde João de Deus fazia os atendimentos espiritualistas. Eles revistaram as partes internas, administrativa e os locais de oração.

Os policiais deixaram o centro espiritualista com documentos. Eles também foram a uma residência, apontada como propriedade do médium, onde recolheram armas e dinheiro, segundo informações preliminares.

Detalhes

A TV Anhaguera, de Goiânia, teve acesso ao pedido da Justiça de prisão preventiva com base nas investigações policiais. O texto menciona que o médium “se aproveitava” de “mulheres fragilizadas” e que em alguns casos houve “penetração”.

Também cita João de Deus com um  “comportamento padronizado” nas agressões sexuais e que ele criava uma “atmosfera intimidatória” para abusar das vítimas.