GPS Lifetime GPS Lifetime

Gosto jovem? Michel Temer conta que assistiu a 'La Casa de Papel'

Gosto jovem? Michel Temer conta que assistiu a 'La Casa de Papel'
Em vídeo publicado na página oficial do Governo do Brasil no Twitter, e depois "retuítado" em seu próprio perfil, o presidente Michel Temer contou que é fã de série e até indicou algumas para as pessoas assistirem. "Leio muito, mas assisto muitas séries. Sabe que, recententemente, vi uma série sobre a vida do Trump, interessante, quatro capítulos, assim como aquela La Casa de Papel. Tá famosa, eu vi", disse Temer na curta entrevista realizada em estilo "vlog".
 
Apesar da tentativa de se aproximar do público jovem, a reação dos internautas não foi muito receptiva. Os comentários criticam o formato escolhido para o vídeo e a falta de espontaneidade. Assista ao vídeo no link.
 

#GPSNaCopa: Isabella Lim dá dicas de Moscou, uma das cidades sede do Mundial

#GPSNaCopa: Isabella Lim dá dicas de Moscou, uma das cidades sede do Mundial
collaborated Theodora Zaccara
photo Reprodução

Exímia viajante, Isabella Lim da a letra de como aproveitar a capital russa fora dos estádios

Sessenta e seis países em vinte um anos. Na matemática, a proposta é possível, mas apertada: três pátrias por mês. Na prática, é nada menos que a vida, história e paixão de Isabella Lim. Filha de pai chinês, a estudante de Publicidade nasceu com dualidade no sangue, e o gosto pelas cabines de avião - despertado logo na infância -, rendeu cliques em cartões-postais como Nepal, Islândia, Noruega, Tailândia e Rússia, nação que está a menos de 19 dias de sediar a Copa do Mundo. 

Com toda essa bagagem, a jovem faz gosto em desaguar todo seu conhecimento do globo sob o “arroba" checklim, que atualiza com afinco para registrar cada restaurante, loja, monumento e diversidade das dezenas de países que visita com frequência. GPS|Lifetime questionou a bela quanto à terra gelada, e traz o roteiro feito sob medida para aproveitar a Rússia em meio aos gols e pênaltis do mundial de futebol. Skavuska!

 

Antes de entrar no mérito de Moscou, cidade na qual desfrutou de uma temporada durante o ano de 2017, Lim não falha em abordar um assunto primitivo, indispensável para dar início a qualquer outro: a língua. "A língua russa é completamente diferente da latina. A maioria dos russos que conheci não sabiam inglês, o que dificultava muito a comunicação. Por isso, procuramos auxílio de uma guia para nos acompanhar durante a viagem”, conta. Dito isso, é hora de enaltecer a capital soviética. 

"Moscou é uma cidade encantadora, é fácil se apaixonar por cada cantinho. Tendo sido palco de tantas guerras, a cidade respira história. É preciso mergulhar na cultura russa, experimentar comidas típicas, seu famoso e internacional “strogonoff”, a bebida nacional - a vodka, que significa “aguinha” -, suas dancas folclóricas, seus corais de vozes masculinos, o famoso Teatro Bolshoi, seus parques e jardins...

Sem esquecer da simbólica Praça Vermelha, palco do poder da era soviética - de Lenin e Stalin a Brezhnev, passando por Mikhail Gorbachev e chegando à era Putin. Ou dos artistas do mundo clássico da música, como Tchaikovsky, Korsakov, Glinka, Borodin, além de escritores como Pushkin, Tolstoi, Dostaievsky e muitos outros expoentes. A Rússia encanta pela beleza e por sua rica cultura. "As danças kossacas e polovitsianas, todas folclóricas, encantam os turistas, bem como o emblemático Circo de Moscou", se derrete, apaixonada. 

Dentre as visitas que não devem ser ignoradas, a jovem destaca as igrejas católicas ortodoxas de São Basilio, na Praca Vermelha, e o magnificente Kremlin,  "sede do governo russo e uma fortaleza que guarda, dentro das suas muralhas, praças, jardins, igrejas, palácios, armas, fortes, tesouros, além do maior canhão do mundo e diamante já existente”, ensina Isabella. 

Política, arte e religião: da Praça Vermelha ao teatro Bolshoi, passando pela histórica cidadela de Serguiev Possad, na Rússia cada canto é único

O imponente Kremlin, sinônimo de fortaleza em russo, é uma visita indispensável

 

Para os shopaholics que não pretendem deixar a Rússia sem um novo mimo, a universitária recomenda conhecer o GUM, shopping deluxe localizado na Praça Vermelha, recheado de lojas quase régias. Ao lado do Teatro Bolshoi - spot que também não dispensa visita -, situa-se outro santuário das compras, o TSUM, mall munido com as principais marcas da alta moda.

 

Pit stop para boas compras e inesquecíveis experiências culinárias

 

E não há como falar em Rússia sem ressaltar o Lago dos Cisnes, inspiração da peça de ballet de Piotr Tchaikovsky, que, nas terras gélidas, é uma realidade além da ficção. O sítio fica no parque ao redor do monastério. "Lá conseguimos entender de forma intimista como o grande classicista romântico se inspirou nessa peça mundialmente respeitada”, afirma Isa, que também faz questão de redirecionar a atenção a um outro spot da cidade, demasiado contrastante ao jardim de Tchaikovsky: os metrôs moscovitas. "Elas refletem o desejo de Lênin de transformá-las em verdadeiros palácios para o proletariado soviético", reitera.

Subsolo régil: as estações de metrô possuem magnificência real 

 

Para se deliciar com o tempero da culinária russa, Bella recomenda uma série de restaurantes estrelados. Entre eles, o Café Pushkin, o Doktor Zhivago, o Turandot, o Bocconcino, o japonês Nobu, o Bolshoi e o Café Vogue. Mais que beleza e décor inspirados pela era de auge da aristocracia francesa, eles "possuem um toque especial no paladar”. Vale lembrar também do 02 Lounge, na cobertura do Ritz; o Soho Rooms, que se transforma em boate após o badalar da madrugada;  o Tommy D Gastrobar; e o Fantastic White Rabbit. 

Registros de boa gastronomia internacional são postagens frequentes do @checklim