GPS Lifetime GPS Lifetime

Turks and Caicos: cinco razões para visitar arquipélago britânico

Turks and Caicos: cinco razões para visitar arquipélago britânico
collaborated Rebeca Oliveira
photo Cortesia

Formado por um conjunto de 40 ilhas, Turks and Caicos reúne mar azul-turquesa caribenho a tranquilidade de um litoral ainda preservado, com ares de vilarejo mas rico em estruturas premiuns

 

Enviada especial a Turks and Caicos

Feche os olhos e imagine um mar que, em um misto de tons azul-turquesa e celeste, quase se confunde com o céu. Essa é a primeira e mais marcante imagem que se tem ao desembarcar em Turks and Caicos, arquipélago caribenho composto por 40 ilhas e que entrou na rota turística de milionários, hollywoodianos, artistas e celebs.

Já no aeroporto, ao passar pelo portão por onde já pisaram Oprah Winfrey, Bill Gates, Will Smith, David Beckham, as Angels da Victoria Secret’s e até Bruna Marquezine, a sensação imediata é de quietude, somada ao luxo de instalações com até sete estrelas, cuja diária pode facilmente ultrapassar os R$ 50 mil.

Embora esteja no incensado Caribe, o país de domínio britânico guarda uma tranquilidade incomum à áreas semelhantes, como Ilhas Maurício ou Bahamas, já descobertas e amplamente exploradas turisticamente.

Providenciales, a mais conhecida das ilhas, é geralmente porta de entrada de visitantes vindos de Miami ou Panamá, de onde parte a maioria dos vôos.

A convite do Gansevoort Villas, o GPS|Lifetime passou cinco dias no paradisíaco destino, e conta cinco razões para incluí-lo imediatamente entre os hotspots para conhecer durante as férias de fim de ano.

1 - Descansar a vista...

... Até onde a vista alcança. A privilegiada localização (perto da República Dominicana e das Bahamas) faz das águas marítimas de Turks and Caicos uma das mais transparentes de todo o Caribe,  em um constraste delicado  com a areia branquinha. Mesmo em alto-mar, é possível ver o fundo das águas e os peixes a nadar.

Essa característica permite que  as praias de Providenciales sejam excelentes para a prática de snorkeling e mergulho, por exemplo, ou, aos fãs da calmaria, tornam-se o local ideal para apreciar o tom sur tom de uma zona temperada e onde quase não há chuvas.

2 - Uma praia para chamar de sua

Como ainda não foi descoberta de forma maciça pelo turismo, mesmo as praias mais movimentadas de Providenciales (caso de Grace Bay Beach, eleita a mais bonita do mundo em ranking de um famoso site de viagem) tem ares de paraíso particular. O comércio de ambulantes se resume a zero, e a maior parte dos banhistas se concentra  em frente aos resorts no qual estão hospedados. Nada de mate gelado ou biscoito Globo gritado em alto e bom som. Turks and Caicos te reserva dias de harmonia e descanso plenos.

3 - Prazer em servir

O melhor do serviço britânico com o sorriso largo de africanos, jamaicanos, haitianos e porto-riquenhos, que costumam migrar  para a  ilha de 35 mil habitantes. Esse curioso casamento torna o serviço de Turks and Caicos amigável, preciso, pontual e envolvente. Do café da manhã a hora de dormir, a sensação é de estar em um vilarejo onde todos se conhecem, se respeitam e se admiram. Lá, mais que arejar bons sentimentos pela simples alegria em viver  em  umas das mais bonitas ilhas do planeta, o staff atende necessidades das mais pomposas sem esquecer de toques pessoais, que fogem do rigor e dão tom intimista à hospedagem. Nas vilas onde a equipe se hospedou, por exemplo, vez ou hora a funcionária colhia uma flor do jardim e a colocava ao lado da cama, com  um cartão manualmente escrito no qual  vinham informações como a temperatura do dia seguinte e desejos de boa noite. Mimos que dão um toque “humano” e afetivo.

4 - Sabores locais

Não deixe de incluir no roteiro a visita a um bar à beira-mar (o Pink, dentro do Gansevoort, tem happy hour e vinhos rosé com desconto). Aproveite para tomar a cerveja local I-ain-ga-lie, uma lager leve e refrescante, ou o rum Bambarra, outra exclusividade das ilhas.

Aos mais corajosos, cabe provar a carne de concha, servida entre ceviches, bolinhos, frita com batatas ou até em risotos.

5 - Grace Bay

Menina dos olhos de Provodenciales e com vários km de extensão, a bela praia é sinônimo de luxo. Em hotéis, é comum que as espreguiçadeiras deem lugar a sofás. Os garçons, quase no esquema de um para cada hóspede, não permitem que nada falte - do protetor solar a uma toalhinha gelada para aplacar o calor.

A lista de predicados de Turks and Caicos não para aqui. Por isso, o GPS|Lifetime reserva algumas páginas de sua próxima edição para mais dicas do país. Coming soon!

A repórter viajou a convite da Xmart e do Resort Gansevoort


Hora da gramática: saiba como pronunciar o nome de grifes de luxo

Hora da gramática: saiba como pronunciar o nome de grifes de luxo
photo Reprodução

Às vezes, a nomenclatura das labels mais queridinhas do mundo da moda é um tanto complicada de falar

 

Algumas grifes são assunto garantido no papo entre amigas, porém nem sempre da forma correta. Os nomes de origem francesa, inglesa ou italiana ganharam versões abrasileiradas devido o nível de complicação da pronúncia.

Não gosta de se enrolar na hora de falar o nome da grife? Seus problemas acabaram! Abaixo confira como pronunciar certinho a nomenclatura das etiquetas mais hypadas do universo fashion

 

Alexander Wang – Alecsander Uéng

Balenciaga – Balenssiaga

Balmain – Balmá

Bottega Veneta – Botêga Vêneta

Bvlgari – Búlgari

Celine – Cêlín

Christian Louboutin – Cristian Lubutã

Comme des Garçons – Com Dê Gásson

Dolce & Gabbana – Doltchey end Gabana

Givenchy – Givonchí

Gucci – Gúti

Hermès – Erméz

Jacquemus – Jaquemus

Jean Paul Gaultier – Jon Pol Gotiê

Lanvin – Lanvã

Louis Vuitton – Lui Viton

Marchesa – Marquêsa

Moschino – Mosquino

Ralph Lauren – Ralf Loren

Tommy Hilfiger – Tomi Rilfiguer

Versace – Versatchê

Vetements – Vetmon

Yves Saint Laurent – Ivi Sã Lorrã