GPS Lifetime GPS Lifetime

Procuradora reafirma que João de Deus deve ser mantido preso

Procuradora reafirma que João de Deus deve ser mantido preso
photo Marcelo Camargo/Agência Brasil

A manifestação de Raquel Dodge foi divulgada na noite deste sábado, 5


A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, enviou parecer ao Supremo Tribunal Federal (STF), em que reafirma a necessidade de manutenção da prisão preventiva do médium João Teixeira de Faria, o João de Deus. Ela sugere que o pedido liminar da defesa para prisão domiciliar humanitária seja indeferido.

A decisão foi divulgada ontem, 5, à noite. João de Deus é acusado pela prática de crimes de exploração sexual e estupro e está preso desde16 de dezembro.

A manifestação de Raquel Dodge é uma resposta à solicitação do presidente do Supremo, Dias Tofolli, após um novo pedido apresentado pela defesa de João de Deus. Os advogados alegam que o médium tem graves problemas de saúde e que a unidade prisional de Abadiânia não tem serviço de saúde adequado a sua situação.

No documento, a procuradora descreve que foram fornecidas informações detalhadas acerca da situação processual e dos atendimentos médicos aos quais João de Deus foi submetido nos últimos dias, inclusive que juíza Marli de Fátima Naves afirmou que não houve intercorrências.

“Em nenhum dos atendimentos médicos registrados no relatório foi especificado algum problema de saúde do paciente que não possa ser acompanhado e tratado no estabelecimento prisional onde se encontra”, diz Raquel Dodge no documento. Para ela, a lei não autoriza a concessão de prisão domiciliar de caráter humanitário ao paciente, por falta de fundamento.





Mariana Fonseca, a chef que manifesta seu amor em receitas

Mariana Fonseca, a chef que manifesta seu amor em receitas
collaborated Marcella Oliveira
photo Claudio Almeida

Chef dos gastro spots Myk e Kouzina, Mariana Fonseca é uma amante da Grêcia e estampa a essência simples e natural do país em suas receitas. A essência simples e natural do local está impressa em tudo que a cerca. Da décor ao lifestyle

 

Falar grego. A gente usa essa expressão quando quer dizer que não estamos entendendo algo que é dito. Não temos o mesmo alfabeto e arriscar pronunciar as palavras pode render boas risadas. Mas sabemos reconhecer sua atmosfera. Aqueles cenários de filme com casinhas brancas e detalhes em azul são peculiares. Isso, claro, sem esquecer os sabores da culinária mediterrânea. Muita ousadia trazer esse contexto para São Paulo? Não para a chef Mariana Fonseca

Mariana é brasileira de nascimento e grega de coração, como costuma dizer. Foram sete anos vivendo pelo Mediterrâneo, onde aprendeu a culinária, experimentou sabores e vivenciou a cultura. Apaixonou-se tanto por lá que é essa atmosfera grega que ela reproduz em seus restaurantes, o Myk e duas unidades do Kouzina, todos em São Paulo. Ambientes clean, com muito branco, louças e detalhes em azul. É a Grécia aqui. “Foi tudo pensado por mim. Não queria representar apenas o paladar. Meus restaurantes trazem o lifestyle grego”, explica.

A paulistana leva uma típica vida agitada da cidade cosmopolita. Com um filho de dois anos, Theodoro, acorda 6h30, faz ginástica, despacha de casa e às 10h segue se dividindo entre os restaurantes ao longo do dia. De uma cozinha para outra, de um escritório para outro. "Sou controladora e gosto de saber tudo que acontece". O fim do dia é de volta para casa para passar mais um tempo com o filho, mas durante a noite segue novamente pela saga de visitar suas cozinhas. Parece cansativo? Sim, mas ela não para. Já tem planos concretos de mais uma unidade do Kouzina e outros três novos restaurantes para 2019.

A empresária comanda uma equipe de 180 pessoas e treina outras 120 para os novos empreendimentos. “Entrevisto cada pessoa que vai trabalhar comigo, olho no olho, escuto meu feeling. Minha equipe é minha família”, diz a chef exigente, perfeccionista e metódica. 

Com uma rotina intensa, parece até ironia quando revela o que mais a atrai nos gregos. “Gosto do jeito simples que eles levam a vida. Acordar de manhã, comprar o pão na padaria mais antiga da ilha, cozinhar com produtos da horta, nadar em mar aberto sem perigo. Eles aproveitam o que foi dado: bons ingredientes, mar azul, e celebram a vida com muita festa”, diz a amante do mar e avessa à multidão. Mariana viveu em Mykonos e é onde hoje tem uma casa. “Mas amo de paixão Athenas”, completa. Você fala grego? “É meu terceiro idioma e falo com meu filho em casa, quero que ele aprenda”.

Empreendedora, criativa e inteligente, Mariana não passa despercebida. Seja pela culinária ou pela mulher alta e bonita que é. É discreta e tímida, mas abre um sorriso sincero quando é requisitada em uma mesa de clientes para receber um feedback. Ela cozinha com o coração e com simplicidade. “Mas minhas receitas favoritas são as que minha falecida mãe preparava, como a abobrinha recheada ou o bolo de carne, comida de verdade, como as que tento fazer nos meus restaurantes”, conta.

O amor de Mariana pela Grécia está em tudo que ela fala, em seus gestos, seu trabalho e na sua vida. Hoje, aos 38 anos e com uma carreira já consolidada no Brasil, conta que não se sentiu intimidada quando começou a atuar na maior cidade do País. "Meu diferencial é fazer uma cozinha que nunca foi muito explorada, sou a primeira no Brasil a difundir a culinária grega contemporânea. Agora está na moda, mas a minha paixão é, além de antiga, um estilo de vida. Eu vivo a Grécia 24 horas por dia", afirma.

Mariana é clássica na forma de levar a vida e no seu processo criativo. Usa as ferramentas que estão ao seu alcance para criar. Dos primórdios da cozinha da avó italiana até a última viagem que fez, além do aprendizado dos livros. "Não paro de ler, sempre um atrás do outro, e deixo minha criatividade reinar", confessa. Nas poucas horas livres que tem, viaja ou degusta um bom vinho. Mas é na cozinha que se sente viva. “Alimentos alimentam minha alma”, conclui a chef.

 




Myk

Inaugurado em janeiro de 2013, é no Myk que Mariana Fonseca faz sua cozinha mais autoral. “Foi a melhor maneira que achei de colocar todo meu amor pela Grécia aqui no meu País. O restaurante me transporta direto para Mykonos. O olho grego é minha marca registrada. A música alta lembra os beach clubs de Mykonos”, conta. É lá que fica seu prato preferido, o polvo grelhado.

 

Kouzina

Kouzina é uma taverna, como um boteco grego. Surgiu em junho de 2015, no Jardins. Uma grande bandeira da Grécia mostra que a comida é tradicional e farta. “Lembrando a vovó grega”, brinca Mariana. A disposição permite que os clientes vejam parte da cozinha. Na décor, latinhas de tomate originais da Grécia com pimentas plantadas pela própria chef. Este ano, inaugurou o segundo Kouzina, em Pinheiros.

 

Novos sabores

Atualmente a chef finaliza o projeto da terceira unidade do Kouzina, no Shopping Cidade Jardim. Paralelamente, ela coordena a abertura de outros três restaurantes em 2019. O Fotiá vai trazer o fogo como base das receitas, nos Jardins, e o Mediterranee intensifica a paixão pelo Mediterrâneo em receitas que vão da Grécia para França, Marrocos, Israel, Itália. “O último é o Vulcano, inspirado na região da Magna Grécia, no sul da Itália”, revela Mariana.