GPS Lifetime GPS Lifetime

O amor não se declara pois é em si mesmo uma declaração

O amor não se declara pois é em si mesmo uma declaração

Amar, sobretudo amar de novo, é esquecer velhos sotaques e aprender a traduzir num vocabulário novo



As declarações de amor não são mais compostas por vogais e consoantes, mas por ações e atitudes

Você me pede uma declaração de amor. Mais do que todos os meus frêmitos, mais do que todos os meus olhares que gritam, que fazem escândalo, que perdem a compostura, que me delatam toda vez que a sua vida passa por mim?

O amor não se declara pois é em si mesmo uma declaração, um manifesto. Ele fala por todos os poros, por todos os trejeitos, por tudo que é dito e, sobretudo, feito.

O amor é uma linguagem, um idioma, um dialeto que aprendemos para que uma alma dialogue com outra. Para cada alma haverá sempre um dialeto único.

Amar, sobretudo amar de novo, é esquecer velhos sotaques e aprender a traduzir num vocabulário novo, de uma língua totalmente desconhecida, a eterna senha de todos os amantes: eu te amo!

Então, o amor existirá nessa nova língua quando for compreendido e conseguir se expressar.

O homem frágil vê um tempo de amantes poliglotas e se pergunta como se tornou tão fácil decorar todos os idiomas e dominar todas as gramáticas do amor com tanta destreza. Porque já houve um tempo dos amores monoglotas.




Mas hoje não. As línguas se tornaram de domínio universal e é possível amar num vocabulário vasto como amantes jamais se comunicaram.



Sou de um tempo em que as declarações de amor cabiam nas palavras. Era um tempo em que as palavras tinham significado e valor. Palavras eram duradouras assim como as declarações.

Hoje há tantas palavras e tantos jogos com elas que o que importa não é o que elas dizem, mas o que se faz após pronunciá-las. Então, as declarações de amor não são mais compostas por vogais e consoantes, mas por ações e atitudes.

Há amores retóricos e esses sempre existiram. Mas os amores que marcam se declaram nos olhares, nos cuidados, no querer e isso muitas vezes é declarado, mas muitas vezes é também pronunciado na frequência mais inaudível dos amores.

Quero declarar meu amor nos meus silêncios, nas minhas pausas, na minha tolerância, na minha compreensão. Eu te amo é uma rolha que espoca das bocas dos amantes, mas o amor que me entorpece é a champanhe que jorra, alegra e embriaga.

O amor, às vezes, não é o estouro nem cabe nas declarações. Às vezes é algo que se consome em taças, numa compulsão que provoca vertigens. Meu amor é cheio de borbulhas, translúcido e de boa cepa. Quero bebê-lo até a última gota. Isso é uma declaração?


Novo amor: Brad Pitt está namorando Charlize Theron, diz jornal

Novo amor: Brad Pitt está namorando Charlize Theron, diz jornal
photo Reprodução

O affair teria começado no Natal

 

Casal perfeito? De acordo com o jornal inglês The Sun, Brad Pitt está namorando a atriz e ex-modelo sul-africana Charlize Theron. O periódico afirma que o relacionamento teve start no Natal, quando os pombinhos foram apresentados por Sean Penn, ex-marido da loira. 

“Eles estão se vendo casualmente há quase um mês. Eles eram amigos há um tempo, ironicamente apresentados por Sean Penn, e as coisas evoluíram”, declarou uma fonte ao jornal.

Se os boatos forem verdadeiros, esse é o primeiro relacionamento público de Pitt desde que ele se divorciou de Angelina Jolie, em setembro de 2016. Pitt e Jolie têm seis herdeiros juntos. Já Charlize tem dois filhos adotados.

Rixa

Angelina e Theron, inclusive, têm uma rixa de longa data. Segundo a imprensa, as duas atrizes não se suportam por questões profissionais. A história que rola solta em Hollywood é de que elas disputam os mesmos papéis há anos. 

Em 2017, por exemplo, Angelina teria sido convidada para fazer A Noiva de Frankenstein e Charlize ficou como a segunda opção, protagonizando o filme caso a morena declina-se. Nos bastidores dos estúdios, o burburinho era de que a ex de Brad Pitt não tinha interesse no longa, mas enrolou o máximo que pôde para dar sua resposta. Isso só para irritar Theron, que aguardava ansiosamente para saber se iria ou não ser chamada.

“O festival de ódio entre essas duas começou há muito tempo e não vai parar”, informou uma fonte ao site Radar. “É como se os diretores quisessem jogar uma contra a outra, balançando um roteiro para as duas e deixando-as a brigar por ele.” Bafão!