GPS Lifetime GPS Lifetime

No mundo do amor digital, ainda sobrevive o sorriso primata feliz

No mundo do amor digital, ainda sobrevive o sorriso primata feliz

Muita coisa mudou neste mundo dominado pelas mulheres digitais, mas o amor ancestral continua doce, ingênuo, meigo e apaixonado como o primeiro beijo


Sai riso! Sai de mim! Me respeita! Como ousa escancarar essa fenda feliz em minha face sem pedir licença? Que risos são esses dos amantes? São como o amor: sem motivos e por todos os motivos, por nada e por tudo, sem nenhuma explicação e absolutamente compreensíveis. São incontroláveis, inevitáveis.

Suaves, mas intensos, leves, mas profundos. Os sorrisos dos amantes são a primavera do amor. Cada sorriso é uma flor que desabrocha e é impossível não seguir o fluxo da natureza.

Muita coisa mudou neste mundo dominado pelas mulheres digitais e pelas interconexões amorosas, em que o amor é um impulso que trafega numa plataforma em tempo real, numa escala geométrica como nunca antes.

Ah… Mas o amor ancestral, o amor primata, o amor pitecantropo, o amor que torna idiotas os amantes mais descolados, os seres das balada, esse amor vintage continua doce, ingênuo, meigo e apaixonado como o primeiro beijo, como o primeiro arrepio adolescente.




Esse amor é uma frequência rara de alcançar e mais rara ainda em um mundo onde há tantas frequências novas disponíveis.

Mas esse amor é imortal. Ele resiste a todas as revoluções, a todos os novos costumes e o homem frágil arrisca dizer que mesmo a mais digital das mulheres, mesmo o mais digital dos gêneros, quando alcança esse frequência, experimenta uma viagem na dobra do tempo. E passa a amar como todos os ancestrais um dia já amaram, com aquela inocência de Romeu e Julieta, com o romantismo datado dos filmes preto e branco.

Esse é um amor que promove uma viagem dos amantes mais experientes à fonte do rio onde todos os amores nasceram. Uma fonte pura, límpida e cristalina que afoga corpos que, por mais vividos que sejam, fazem uma viagem no tempo e retornam a um momento em que o amor não era uma caçada, mas um sonho, um sonho possível de acreditar e viver.

E quando isso acontece, os guerreiros se despem de sua armadura e o rosto retira a sua máscara. E, aí, brotam os sorrisos. Os sorrisos involuntários, os sorrisos desarmados, os sorrisos que os humanos anseiam sorrir seja qual for a etapa da humanidade.

Sempre poderá haver uma balada melhor, sempre poderá haver um after ou um esquenta mais top, mas esse sorriso que surge à toa e é todo encantamento, não, não há sorriso que se iguale ao que grita ao mundo o de um amor feliz.


Novo amor: Brad Pitt está namorando Charlize Theron, diz jornal

Novo amor: Brad Pitt está namorando Charlize Theron, diz jornal
photo Reprodução

O affair teria começado no Natal

 

Casal perfeito? De acordo com o jornal inglês The Sun, Brad Pitt está namorando a atriz e ex-modelo sul-africana Charlize Theron. O periódico afirma que o relacionamento teve start no Natal, quando os pombinhos foram apresentados por Sean Penn, ex-marido da loira. 

“Eles estão se vendo casualmente há quase um mês. Eles eram amigos há um tempo, ironicamente apresentados por Sean Penn, e as coisas evoluíram”, declarou uma fonte ao jornal.

Se os boatos forem verdadeiros, esse é o primeiro relacionamento público de Pitt desde que ele se divorciou de Angelina Jolie, em setembro de 2016. Pitt e Jolie têm seis herdeiros juntos. Já Charlize tem dois filhos adotados.

Rixa

Angelina e Theron, inclusive, têm uma rixa de longa data. Segundo a imprensa, as duas atrizes não se suportam por questões profissionais. A história que rola solta em Hollywood é de que elas disputam os mesmos papéis há anos. 

Em 2017, por exemplo, Angelina teria sido convidada para fazer A Noiva de Frankenstein e Charlize ficou como a segunda opção, protagonizando o filme caso a morena declina-se. Nos bastidores dos estúdios, o burburinho era de que a ex de Brad Pitt não tinha interesse no longa, mas enrolou o máximo que pôde para dar sua resposta. Isso só para irritar Theron, que aguardava ansiosamente para saber se iria ou não ser chamada.

“O festival de ódio entre essas duas começou há muito tempo e não vai parar”, informou uma fonte ao site Radar. “É como se os diretores quisessem jogar uma contra a outra, balançando um roteiro para as duas e deixando-as a brigar por ele.” Bafão!